Skip to content

Architecture Cost Management®: 2 Casos de Sucesso!

O Architecture Cost Management ® conta com vários casos de sucesso em Portugal. Todavia, este conceito inovador, criado em 2012, já foi aplicado em mais de uma dezena de países, como Angola, Moçambique, Argélia, São Tomé e Príncipe, Arábia Saudita e Kuwait.

Em solo nacional, o caso de sucesso que se destaca pela sua singularidade é o IB-S – Instituto de Ciência e Inovação para a Bio-Sustentabilidade da Universidade do Minho, em Guimarães. Esta obra pública foi concluída em 2012 e custou cerca de 1 milhão de euros.

A DIMSCALE entrou na fase de licenciamento e terminou a sua participação no projeto de execução. A grande vantagem do ACM® é a sua implementação em qualquer etapa do projeto ou da obra. Para cada fase, existe uma metodologia de trabalho diferente. Neste caso, foram aplicados os serviços Avaliação e Otimização de Custo, Procurement e Revisão de Projeto.

Este foi um dos primeiros projetos em que se testou o conceito Architecture Cost Management®. Em primeiro lugar, foi necessário despir o edifício do que era supérfluo. Tratando-se de uma obra de caráter laboratorial, os acabamentos interiores não eram o elemento diferenciador mais importante.

No IB-S, não houve desvios, contrariando a tendência verificada na maioria das obras públicas, marcadas por derrapagens orçamentais. Vale a pena referir que, por mais pequeno que seja o deslize, poderá traduzir-se num prejuízo de milhões.

A DIMSCALE destaca-se neste âmbito, pois, nos projetos em que aplica o ACM, os desvio situam-se entre 1% e 2,7% no final da obra.

 

Architecture Cost Management® aplicado além-fronteiras

O Architecture Cost Management® foi implementado com sucesso fora de portas. Um dos case studies internacionais é o Praia Sundy Resort, na Ilha do Príncipe. Trata-se de um investimento privado, no setor da hotelaria, cujo projeto decorreu entre 2014 e 2018.

À semelhança de outros casos em que interviemos, a questão económica foi preponderante. O grande desafio em São Tomé e Príncipe foi realizar uma análise exaustiva de todos os custos, que não eram apenas de projeto, mas que estavam relacionados com as áreas de logística, gestão de cargas e valores de execução.  A título de exemplo, era mais barato transportar um contentor de Lisboa para São Tomé do que de São Tomé para a Ilha do Príncipe. Tudo isto foi calculado.

A obra ficou orçada em cerca de 11 milhões de euros. No final, o desvio foi inferior a 1%. Devido ao know-how da DIMSCALE, foi ainda possível poupar cerca de 600 mil euros, dos 3,5 milhões disponibilizados para a FF&E e OS&E, ou seja, quase 20% do budget inicial.

Este projeto representou um intenso trabalho de equipa uma vez que o arquiteto não era português e os materiais eram provenientes de diferentes pontos do globo. Por isso, foi necessário estabelecer contacto com empresas de Itália, França, Portugal, Canadá, Estados Unidos, África do Sul, Indonésia, entre outros países. Foram ainda criadas ferramentas internas para poder controlar e otimizar os custos durante todo o processo.

 

DIMSCALE: Um passo mais à frente!

O Praia Sundy Resort não é o único caso de sucesso do Architecture Cost Management® a nível internacional. A DIMSCALE conta com 327 projetos concluídos em 11 países. Atualmente, a maioria dos clientes não são arquitetos portugueses, mas investidores estrangeiros habituados a um controlo mais preciso e incisivo.

Ao prever todas as situações na gestão de custos e na otimização de projetos, a DIMSCALE tem vindo a destacar-se na forma de pensar e fazer Arquitetura. O rigor está sempre presente, qualquer que seja a metodologia de trabalho!

 

Estamos disponíveis para qualquer esclarecimento sobre o Architecture Cost Management®.

 

Falar com um especialista!